Apenas um terço das pessoas se sente preparada para envelhecer e, ao contrário do que deveria ser, a maioria está mais preocupada com a situação financeira na terceira idade do que com a qualidade do envelhecimento em si, o que não está totalmente errado, mas requer ponderação.

Devemos nos preparar desde jovens para um envelhecimento saudável em todos os sentidos e isso inclui também pensar na parte financeira. Porém, sempre devemos considerar que para alcançar a longevidade com qualidade é preciso muito mais.

Assim como o envelhecimento da população tem se tornado gradual, a curiosidade sobre a terceira idade também tem crescido, pelo menos é o que indica o aumento das buscas onlines relacionadas ao tema. Estima-se que estas pesquisas tenham aumentado mais de 60% em relação a 2015.

E o que isso significa?

A tendência é que com o tempo os idosos se tornem a maior fatia da população mundial e é por isso que o interesse de acabar com estereótipos e descobrir novas formas de envelhecer com qualidade de vida, conforto e segurança se torna cada vez maior. Tendo sua longevidade como pauta, a população idosa começa a ter seu futuro expandido.

Longevidade

Quando o assunto é manter-se saudável, a maioria das pessoas tem a mesma motivação: viver mais e acima de tudo com saúde e bem-estar. Enquanto a ciência não encontra a fonte milagrosa da juventude, o recomendável é seguir os velhos ensinamentos para ter uma vida longa, que são:

  • Alimentar-se de forma saudável

É mais do que comprovado que uma dieta balanceada está fortemente ligada à longevidade e traz uma série de benefícios à saúde.

  • Exercita-se regularmente

Realizar atividades físicas regulares ajuda na manutenção da saúde física e mental, impulsionando tudo, desde o condicionamento cardiovascular, até o humor e a energia. Por isso, não é surpresa que os exercícios físicos também prologam a vida.

  • Dizer não aos hábitos ruins

Parar de fumar e limitar o consumo de álcool também são atitudes fundamentais para evitar problemas de saúde e aumentar a longevidade.

Mantenha-se cognitivamente ativo

Além dessas atitudes que você já deve ter visto várias vezes por aqui, separamos uma dica extra que está relacionada à produtividade e longevidade.

Um estudo realizado em aproximadamente 35 países desenvolvidos mostra que trabalhar ou usar o tempo para realizar alguma atividade produtiva é essencial para manter-se cognitivamente ativo.

Por ter passado por vários estágios da vida, o idoso está um passo a frente em alguns aspectos, pois gasta menos tempo que os jovens em atividades que demandam dedicação, como criar filhos ou adquirir uma formação. Desta forma, ele se torna mais comprometido com o seu ambiente de trabalho e, mesmo com o avanço da idade, se mostra seguro e mais eficiente no momento de tomar decisões.

O mercado de trabalho muitas vezes não condiz com esta realidade e apesar de reconhecer que a experiência é um benefício, ainda assim não aposta suas fichas na troca entre mais velhos e mais novos.

A boa notícia é que desenvolver trabalhos criativos não depende inteiramente do mercado e o idoso pode fazer isso por conta própria, em instituições voltadas para isso ou com auxílio dos seus familiares. O que importa é sair da monotonia!

Segurança

Assim como todo o resto da população, os idosos têm direito à segurança. Felizmente, os poderes públicos assim como outras esferas estão reconhecendo o aumento da expectativa de vida como uma realidade, e têm tratado com mais atenção e respeito os direitos dos idosos por meio de ações ou instituições representativas, como:

  • Estatuto do Idoso, que hoje é considerado a política social mais relevante para a visibilidade e apoio aos idosos.
  • Grande Conselho Municipal do Idoso, que tem como finalidade a proposta de atividades e políticas de proteção e assistência aos idosos.
  • Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa e Conferência Nacional da Assistência Social, que são espaços criados para que o idoso seja informado sobre as consequências das transformações sociais e seus direitos diante deste novo cenário.
  • Delegacia Especial do Idoso, que foi criada para promover a ampliação do acesso ao poder judiciário e enfraquecer as formas alternativas de resolução de conflitos entre familiares e idosos, por exemplo.

Conforto

O último tópico deste artigo é o conforto na terceira idade, que também é extremamente relevante para o idoso e os seus familiares.

Com o envelhecimento, além das mudanças físicas também podem surgir alguns conflitos, e um deles diz respeito ao fato de estar confortável com a vida que leva, com as pessoas ao redor e com o ambiente onde vive.

Nem sempre é fácil envelhecer e manter tudo como era antes, já que algumas vezes ocorre o enfraquecimento dos laços familiares, principalmente porque vivemos uma época em que não é mais tão forte a tradição de ter alguém para cuidar dos familiares idosos.

Embora não seja uma regra, quando algo assim acontece, surgem muitos desafios de adaptação nesta nova fase da vida. Algumas pessoas perdem até mesmo a motivação de fazer o que antes trazia felicidade, deixam de sonhar e de fazer novos projetos de vida.

Esse conjunto de fatores faz com que os familiares sintam-se desgastados, impotentes e frustrados. Desta forma, quando chegam à conclusão que não conseguem prestar o atendimento que o seu familiar necessita, muitos buscam soluções benéficas e que garantam o bem-estar do idoso.

Dentre as alternativas estão as instituições de longa permanência para idosos como o SBA Residencial, que oferecem serviços especializados; se dedicam ao tratamento precoce de doenças sintomáticas e suas complicações, proporcionam acolhimento, carinho, conforto e atenção ao idoso e realizam atividades físicas, cognitivas e culturais, para que seus moradores se sintam mais integrados e felizes.

 

Referências

É hora de aposentar seu conceito de “velho”: dados e insights sobre os sêniores do Brasil

“Towards a Longevity Dividend: Life expectancy and productivity across developed countries”

Want to Live Longer? Science Says to Do These 5 Things