Esquecer o número do próprio telefone, o nome de pessoas próximas e lugares já conhecidos, assim como ter mais dificuldade de memorizar novas informações, são episódios comuns na terceira idade.

Dentre as inúmeras alterações fisiológicas decorrentes do processo de envelhecimento, algumas das principais são as mudanças ocorridas nas funções do sistema nervoso central, principalmente as de origem neuropsicológicas envolvidas no processo cognitivo como, por exemplo, aprendizado e memória.

Apesar disso, a maior parte dos idosos que passa por esquecimentos não apresenta demência e consegue até mesmo se lembrar das recordações do passado. Mas, ainda assim, quando há indícios da perda de memória gradativa, os familiares são os primeiros a notar e é natural que fiquem preocupados com a situação.

Dicas para melhorar a saúde cognitiva

Antes de conhecer as dicas de como exercitar o cérebro e melhorar a memória na terceira idade, é importante saber que o declínio da saúde cognitiva também está associado ao estresse, ansiedade e à depressão. Você sabe por quê?

A liberação em excesso do cortisol, também conhecido como hormônio do estresse, influencia diretamente na diminuição do hipocampo, que é a região cerebral em que as lembranças e conhecimentos são gravados.

Entretanto, assim como podemos exercitar o nosso corpo, também podemos realizar alguns exercícios que estimulam o cérebro. Abaixo separamos seis atividades que desempenham esta função de fortalecer a saúde cognitiva. Confira:

  1. Estimule os sentidos com novas descobertas. Experimente novos sabores, aromas e texturas. Frequente locais diferentes, faça novas amizades, tire um tempo para realizar novos estudos ou aprender outras habilidades.
  2. A segunda dica está conectada à primeira: ao fazer qualquer uma destas atividades, evite distrações, pois focando melhor a sua atenção na tarefa executada, a memorização do que está acontecendo será mais profunda.
  3. Escreva para as pessoas que você ama (familiares e amigos); ouça músicas da época da juventude; leia livros e assista filmes que despertam interesse; faça crochê, bordado ou qualquer outro trabalho manual artístico.
  4. Mantenha sempre por perto uma caneta e um caderno para anotar informações que você lembrou, principalmente antes de dormir. Pode até deixá-los ao lado da cama se necessário;
  5. Jogos como palavras cruzadas, sudoku, quebra-cabeças ou caça-palavras, além de divertidos, são excelentes para exercitar o cérebro. Mas se você for mais tecnológico, também é possível baixar aplicativos com jogos específicos para treinar a atenção e a memória.
  6. Por último e sempre importante: realize atividades físicas conforme orientação médica e mantenha uma boa alimentação, com dietas que auxiliam no processo de envelhecimento mais saudável. Muitos alimentos podem ajudar você nessa busca por uma memória mais ativa.

Quando se preocupar…

A partir do momento que o esquecimento e o déficit de atenção e concentração começam a interferir no cotidiano e nas relações interpessoais, a condição deixa de estar associada à idade e passa a ser considerada um sintoma de demência ou até mesmo Alzheimer.

É por este motivo que a atenção deve ser redobrada e o paciente submetido a exames para identificar se realmente a perda da memória está associada à idade ou é o começo de uma doença degenerativa, exigindo assim tratamento precoce para controlar os sintomas e garantir uma qualidade de vida melhor.

 

Referências:

O efeito do exercício de estimulação da memória em idosos saudáveis

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v39n1/a02v39n1.pdf

Demências e esquecimento na terceira idade

https://bit.ly/2JQLvgB

Doze dicas para melhorar a memória e a concentração

https://glo.bo/2M7FRJw

A importância de cuidar da memória na terceira idade

https://bit.ly/2VCdXVC