Idosos e a tecnologia

A tecnologia surgiu para melhorar a nossa rotina. Todo dia aparecem inovações tecnológicas prometendo mundos e fundos para facilitar a vida das pessoas como robôs que limpam a casa por comandos e máquinas de lavar roupas que são acionadas à distância.

Mas será que toda essa novidade contempla a todos de forma igualitária? Infelizmente, não. E os mecanismos mais simples, como celulares e computadores, também não estão acessíveis para todos como deveriam.

Um dos grupos que muitas vezes se sentem excluídos desses avanços tecnológicos são os idosos. Essa triste realidade reflete em nossa sociedade como o descaso que temos com o grupo que mais precisa de atenção.

E isso precisa mudar! Neste artigo vamos entender melhor quais os pontos dessa questão que merecem nossa atenção e como podemos ajudar a mudar este cenário, com pequenas mudanças de hábitos.

 

Quais as dificuldades dos idosos com a tecnologia?

Os idosos comumente são mais cautelosos e têm mais medo de errar, o que difere de uma criança quando estão no meio do aprendizado.

Esta característica influencia e muito na hora de aprender, pois o receio de fazer alguma bobagem, apertar em um botão errado é muito grande.

Tão grande que pode até interferir e fazer com que essa pessoa desista.

Em uma pesquisa realizada pela Taiuani Marquine Raymundo – Terapeuta Ocupacional graduada pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), cerca de 24% dos idosos declararam que possuem medo de manusear em novas tecnologias e 40% admitiram ter receio de danificar o aparelho.

Em relação aos cursos de informática básica oferecidos, alguns confessam que não possuem apoio o suficiente para seguir em frente com as aulas.

Isso significa que questões externas – como apoio de familiares – também contribuem sobre a tomada de decisão.

 

Como incluir idosos na tecnologia?

Os idosos precisam aprender a lidar com a tecnologia para melhorar a convivência com as pessoas, por estarmos inseridos em uma sociedade que está cada vez mais digital, portanto, estar inserido nessa realidade é muito importante.

Atividades antes presenciais estão cada vez mais tornando-se remotas como consultas médicas. Você pode marcar a consulta e passar com o seu médico on-line tudo através de uma tela de computador ou do seu celular.

O atendimento on-line pode ser muito difícil para os idosos se não tiver o aparato e ensino das habilidades dos aplicativos.

As pessoas da família têm responsabilidade em ajudar a pessoa mais experiente que está em casa e que, com certeza, vai precisar do seu auxílio.

Por esta razão, separamos algumas dicas para que as pessoas idosas possam aprender a mexer em smartphones e viverem a vida virtual da maneira mais plena possível.

  • Faça comparações

Na hora de ensinar alguns conceitos, associe-se a coisas ou situações que já são conhecidas da pessoa, tais como palavras, termos, objetos, ações, entre outros.

Funciona muito e vai forçar que essa pessoa que está aprendendo relacione momentos da vivência dela com o novo. A navegação pode se tornar mais intuitiva para ela.

  • Explique o que é

Pode parecer óbvio, entretanto, sentar e explicar para que serve cada rede social, como funciona, quais os recursos serão oferecidos naquele aplicativo.

Tudo isso antes de começar, de fato, a prática. A conversa é essencial e muda muito o olhar que o idoso pode ter a respeito da tecnologia.

  • Evite termos técnicos

Palavras em inglês, principalmente se a pessoa não sabe, devem ser evitadas para não gerar exclusão dessas pessoas.

Nas redes sociais muitos termos em outro idioma estão em alta – mas engana-se quem acha que todo mundo conhece.

A dica aqui é evitar. Fale de forma simples, explique como são as funções antes de usar os termos.

  • Tenha paciência

Não tenha pressa na hora de ensinar alguém. Os idosos são cautelosos e gostam de sentir que estão no controle.

Muita rapidez pode deixá-los confusos. Mantenha um ritmo que for melhor para ele e mostre que está interessado em ajudá-lo da melhor maneira.

  • Repita

Diga a mesma coisa diversas vezes, repita as informações. E não se irrite se o idoso perguntar mais de uma vez como realizar aquela tarefa ou acessar o aplicativo.

Bancos, receitas, vídeos, músicas, mensagens… São muitas coisas que eles precisam aprender, então é necessária a repetição.

  • Abra o momento para perguntas

Depois que tudo foi explicado e ele já estiver dando uma olhada nas redes sociais, deixe que ele faça perguntas das principais dúvidas em relação ao que ele acabou de ver ou mexer.

  • Dê tempo a ele

Depois de toda a explicação, dúvidas e práticas, deixe o idoso lidar com os problemas tecnológicos dele sozinho – por algum momento.

Fique de olho e disposto a ajudar quando necessário, entretanto, dê a ele a oportunidade de resolver as próprias questões.

 

Quais os benefícios da inclusão digital para idosos?

A inclusão digital pode melhorar a vida do idoso em todos os aspectos.

Estar inserido em uma realidade em que todos estão, fazer parte de um todo mesmo com a idade avançada gera uma realização pessoal muito grande.

É importante, também, no combate à solidão, uma vez que a internet possibilita a comunicação instantânea com pessoas que estão longe.

É comum pessoas idosas encontrarem amigos ou familiares que moram longe através das redes sociais e conversar como elas – mesmo que não seja uma companhia física, estar em contato com o outro é essencial.

Promover o sentimento de vitória também auxilia no bem-estar físico e mental dos idosos, ainda mais nessa fase que muitos questionamentos assolam a vida dessas pessoas.

Acesso a conteúdo relevantes – ou nem tanto – transformam o humor das pessoas e, consequentemente, dos idosos também.

Por fim, o advento da tecnologia e a constante atualização dos processos hoje é necessário para todos. Quem já domina esta técnica não vive mais sem.

Quantos idosos que conhecemos que não vivem mais sem seus celulares – objetos que surgiram na metade da vida de muitos deles.

Todo mundo pode ter um papel na hora de ajudá-los no estreitamento da relação entre os idosos e a tecnologia.

Seja para usar os sofisticados aparelhos eletroeletrônicos, novidades do mundo on-line, aplicativos específicos para a faixa etária e muito mais.

A tecnologia promove ao idoso a oportunidade de experiências incríveis, como videochamadas, fotos, efeitos especiais, acesso a conteúdo importantes, comunicação instantânea com qualquer pessoa deve ser vivida por todos.

Aqui no SBA esta cultura sempre é promovida. Localizado no coração de SP, o SBA Residencial apresenta um novo conceito de moradia voltado a pessoas idosas.

Conta com uma estrutura completa e com equipes multidisciplinares sempre prontos para prestar um atendimento humanizado e prestativo.

Fale com um de nossos consultores, agende uma visita e venha conhecer o nosso espaço.

residencial para idosos, sba, idosos, tecnologia

Copyright © 2020 Sociedade Beneficente Alemã. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Next4 Comunicação Digital