5 doenças que mais acometem os idosos

A população brasileira está em trajetória de envelhecimento e até 2060 o percentual de pessoas com mais de 65 anos passará dos atuais 9,2% para 25,5%, ou seja, um em cada quatro brasileiros será idoso. É o que aponta projeção divulgada pelo IBGE em 2018.

Tendo em vista este panorama, fica evidente que à medida que a sociedade envelhece, os problemas associados à saúde dos idosos geram mais desafios e necessitam que os modelos tradicionais de cuidado também acompanhem a evolução e ofereçam ferramentas mais modernas para a manutenção do bem-estar e da chance de desfrutar a velhice com mais qualidade de vida.

O envelhecimento pode ou não ser pleno e saudável. O que dita isso é a capacidade funcional que a pessoa conseguirá manter ao chegar à terceira idade, o que depende muito dos hábitos que adota ao longo da vida, como alimentação, atividades físicas e realização regular de exames médicos.

Entretanto, mesmo com os avanços da tecnologia, da ciência e da medicina, o envelhecimento acarreta mudanças inevitáveis no organismo, e é natural que algumas doenças apareçam com mais facilidade nesta etapa da vida.

A boa notícia é que dá para se prevenir desde cedo de algumas destas doenças e garantir uma vida mais longa e saudável. Informar-se é fundamental nesta jornada, e é por este motivo que separamos abaixo 5 DOENÇAS que acometem com mais frequência os idosos.

Doença de Parkinson

As condições neurológicas degenerativas são muito comuns na terceira idade e acometem, geralmente, pessoas com mais de 65 anos. A Doença de Parkinson, por exemplo, é uma delas e ocorre quando o sistema nervoso sofre degeneração em uma região específica do cérebro.

As consequências do Parkinson são: deficiência de dopamina, responsável por controlar os movimentos finos e coordenados, por isso ocorrem os tremores, a rigidez muscular e a dificuldade em iniciar qualquer movimento voluntário. Embora a doença ainda não tenha cura, atualmente existem tratamentos que incluem medicamentos combinados à fisioterapia, terapia ocupacional, psicoterapia e fonoaudiologia, que controlam os sintomas do Parkinson.

Doença de Alzheimer

A Doença de Alzheimer é considerada neuro-degenerativa por provocar o declínio das funções cognitivas, pois danifica e mata as células cerebrais, causando ao paciente, inicialmente, perda de memórias recentes e, progressivamente, impacta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem.

Com a evolução do quadro, o paciente fica cada vez mais dependente da ajuda dos familiares, até mesmo para rotinas básicas, como higiene pessoal e alimentação. Esse é um dos motivos que faz do Alzheimer uma das doenças mais incapacitantes na terceira idade e que, assim como o Parkinson, não tem cura, mas pode ter os sintomas controlados e retardados com os tratamentos médicos específicos.

Hipertensão

De acordo com a SBH (Sociedade Brasileira de Hipertensão), mais de 50% das pessoas com 60 anos de idade têm pressão alta. A doença crônica é caracterizada pelos níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias e ocorre quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9).

A hipertensão faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído adequadamente no corpo.  Não para por aí, a pressão alta não controlada é considerada um dos principais fatores de risco para a ocorrência de AVC (Acidente Vascular Cerebral), infarto, aneurisma arterial e insuficiência renal e cardíaca.

Diabetes

O diabetes mais comum na terceira idade é o tipo 2, que corresponde a 90% dos casos, e é caracterizada quando o corpo produz insulina, mas torna-se resistente a ela, fazendo com que o organismo não processe adequadamente a glicose. O diabetes é fator de risco para doenças como ataques cardíacos, AVC, insuficiência renal e cegueira.

Mas, a boa notícia é que os sintomas do diabetes tipo 2 podem ser controlados por meio do uso de medicamentos orais ou injetáveis prescritos por um médico e por meio de um estilo de vida mais saudável, que inclua a prática de exercícios regulares e uma dieta sem açúcar e pobre em carboidratos.

Câncer

O câncer atinge pessoas de várias idades, porém, de acordo com um estudo americano, cerca de 77% dos cânceres são diagnosticados em pacientes com idade acima de 55 anos e os tipos mais comuns nesta faixa etária são: Câncer de Pele, neoplasia da próstata, câncer de Mama, Cancêr Coloretal e no pulmão.

Assim como as causas e sintomas, o tratamento costuma variar dependendo do tipo de câncer. Mas, é sempre bom lembrar que a maioria pode ser prevenida, basta adotar hábitos saudáveis ao longo da vida e sempre realizar os exames de rotina para excluir qualquer suspeita ou para um possível diagnóstico, que aumenta expressivamente as chances de cura desta doença.

Cuidar do bem-estar é fundamental!

Agora que você já conhece as cinco doenças mais comuns que afetam os idosos, observe com mais atenção o seu familiar. Caso ele apresente algum sintoma suspeito, procure um especialista.

Aqui no SBA Residencial, além da atenção e do carinho, dispomos de serviços especiais e uma estrutura completa para os moradores que necessitam de acompanhamento médico constante.

Referências

Hipertensão

http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/hipertensao

As doenças mais comuns na velhice: você está preparado?

http://www.previsc.com.br/blog/as-doencas-mais-comuns-na-velhice-voce-esta-preparado/

Modelos de atenção à saúde do idoso: repensando o sentido da prevenção

https://www.scielosp.org/article/physis/2013.v23n4/1189-1213/

Quais são as doenças mais comuns no idoso?

http://hob.med.br/quais-sao-as-doencas-mais-comuns-no-idoso/

5 doenças mais comuns em idosos

https://tecnosenior.com/doencas-mais-comuns-em-idosos/

#residencialparaidososemsaopaulo, #sbaresidencialsp, #moradiaassistida, #moradiadaterceiraidade

Copyright © 2020 Sociedade Beneficente Alemã. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Next4 Cominicação Digital